Blog do FelipeBlog do Felipe

O que cuidar em uma Previdência Privada

08 de setembro de 2016 às 21:22 Por Postado em Blog do Felipe, Experato Educação
Previdência Privada

Segundo IBGE, um em cada três aposentados continuam trabalhando após a aposentadoria, isso se deve à perda do poder de compra ao longo do tempo, onde a renda mensal da pessoa, não consegue acompanhar a alta dos preços com o passar do tempo.

Esse problema previdenciário já começa no momento que não rentabilizamos as nossas aplicações financeiras acima da inflação, como exemplo, a poupança que tem rentabilidade real negativa, perdendo para a inflação nos últimos dois anos.

Porém, nos últimos anos, os dados demonstram que os trabalhadores ativos de hoje em dia estão cada vez mais preocupados com a aposentadoria. Segundos dados de consultorias, a previdência privada passará a poupança como a principal aplicação do brasileiro, chegando a R$ 592 bilhões de reais, onde somente no ano passado, foi aportado mais de R$ 40 bilhões de reais.

Mesmo com esse aumento de captação pelos fundos de previdência, a realidade é que somente 8% dos fundos tiveram rentabilidade acima do CDI no período de 36 meses, o que é um dado preocupante, que acarreta em menor rentabilidade com o passar do tempo. Isso se deve a alguns detalhes que devemos cuidar e que são as “pegadinhas” dos fundos de previdência. São três detalhes que devem cuidar na escolha do melhor fundo: rentabilidade, taxa de administração e taxa de carregamento.

Fuja da taxa de carregamento

Talvez uma das maiores pegadinhas dos fundos de previdência, equiparado a um “pedágio” que o fundo cobra para aplicar no plano. Vamos pegar, por exemplo, uma taxa de carregamento normal cobrada pelos principais fundos de previdência de 5%, ou seja, se você deposita R$ 100,00, R$ 95,00 vai para a aplicação e R$ 5,00 vai para a instituição. Como base de comparação, em uma previdência de R$ 600,00 mensais a uma taxa de rentabilidade de 0,7% ao mês, em 25 anos, seria R$ 30.000,00 a diferença com taxa e sem taxa de carregamento, isso seriam quatro anos de contribuição. Portanto, fuja de fundos de previdência que cobram taxa de carregamento na entrada.

podcast sobre previdência privada

Ouça um podcast especial sobre previdência.

Taxa de administração

O poupador também deve cuidar fundo com alta taxa de administração. Há muitos fundos de grandes bancos, onde o gestor investe em renda fixa, porém é cobrada uma taxa acima de 2,5% a 3% ao ano, que pelo risco e trabalho do gestor, se tornam muito oneroso ao investidor. Já fundos que possuem uma estratégia mais ativa, como os de renda variável, a taxa de administração pode ser um pouco mais elevada, mas nada que busque acima dos 2,5% ao ano. Fundos de renda fixa devem ter taxas menores. Portanto, cuide na sua previdência a alta taxa de administração.

Rentabilidade

A reserva de previdência privada chegará logo em R$ 600 bilhões, mas apenas 8% dos fundos ganham do CDI, fazendo com que a rentabilidade não seja tão atrativa, mas é um fator fundamental para o crescimento do patrimônio.

Aportes regulares em ativos com boa rentabilidade, juntamente com o fator tempo é o grande segredo para o crescimento das nossas reservas e isso fará a diferença para o nosso futuro.

Se quiser saber mais detalhes sobre essa modalidade de investimento, fazer comparações de fundos de previdência, é só entrar em contato pelo e-mail felipe@experato.com.br que terei o prazer de ajuda-lo a escolher um fundo com foco no crescimento do seu capital. Até a próxima!

Tags: ,

Graduado em Ciências Contábeis Especialistas em Finanças e Mercado de Capitais Agente Autônomo de Investimentos credenciado pela CVM Instrutor Experato Educação Sócio da Experato Investimentos